Quarta-feira, 8 de Novembro de 2006

O tempo foge-me

O tempo foge-me

Passa de relance

À frente dos meus olhos

Já longe vai o alcance

.

Eu quero aprender

Quero criar

Mas sobra tão pouco tempo

Para matar

.

Distraio-me

Com coisas inúteis

Canso-me

De coisas úteis

.

No entanto, não gosto

De descansar

Porque os remorsos

Persistem em atormentar

.

Gostava de saber fazer

O que sempre sonhei

Mas parece que o destino...

Já não mais o controlei

.

Tenho tanto querer

E nenhum poder

Uma ansia me corrói

Uma espera que já dói

.

Gostava de para trás olhar

E dizer:

Consegui

Mas tudo parece voar

Só uma conclusão posso ter:

Sobrevivi

I'm feeling: running out of time
1 comentário:
De PG a 27 de Novembro de 2006 às 20:52
Benvinda ao concurso Raquel, basta meteres o selo do concurso e és benvida..o texto do 1 semi-concurso é para ser enviado por mail até domingo..
gostei do espaço..parabéns ;)

o tempo escasseia quando nos queremos apoderar dele..resta-nos sonhar que o tempo flutua pelos nossos olhos ao som da melodia que é a vida..e talvez se descodificarmos a sua msg, saberemos o que nos reserva o seu destino...
jinhos PG


tell my heart what you think

♥Who am I?♥

♥Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


♥recent poems♥

...

♥tags♥

todas as tags

♥pesquisar